(CLIQUE NAS IMAGENS PARA VÊ-LAS EM TAMANHO REAL)

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Ski na Neve em Perisher (Parte 2) - AÇÃO!

Continuando os posts sobre nossa viagem pra neve em Perisher (veja o primeiro post AQUI), vamos ao que realmente interessa: descer a montanha.

Criançada acostumando com a neve desde cedo
Geralmente quem cresceu andando de skate e/ou surfando - o que não é o meu caso, que cresci só jogando futebol - tem facilidade pra encarar o snowboard, que é bem mais difícil que o ski. Eu fui de ski mesmo pois já que sabia que seria uma negação total no snowboard.


O primeiro dia é gasto praticamente só "andando de lado", apanhando pra acostumar com o ski e até pra sair do lugar - nada de montanha ou adrenalina-, mas o negócio é seguir firme e não desistir. Acho que os meus três meses morando em Shanghai (veja o blog AQUI) me ajudaram bastante, já que não sofri com o frio (a temperatura tava variando de 0 a -5 graus Celsius).

No segundo dia chutei o balde, não tive paciência pra ficar fazendo aula de novo e já fui subindo logo pro topo da montanha e encarando a descida sem medo. Sabe aquele cara que você olha lá debaixo e pensa: "Putz, olha aquele sem noção, descendo todo tordo e caindo toda hora"? ERA EU!!! :-D

Mi no "ski-bunda"
Claro que dá pra descer a montanha toda sem cair: é só ir devagarinho, andando de lado e freando o tempo todo, mas aí a adrenalina é bem menor. Eu caí muito, muito MESMO, mas entre um tombo e outro eu estava sempre descendo a milhão, e a adrenalina de descer a montanha no gás é incomparável.

Na manhã do segundo dia a Mi fez esse videozinho de uma chegada minha na base da montanha (depois de uns 5 tombos no decorrer da descida). Eu tava bem devagar, ainda tava começando a encarar a montanha, todo torto e desengonçado, evoluindo aos poucos, mas já tava curtindo demais a adrenalina da coisa toda:



O esquema é o seguinte: você pega um lift (espécie de teleférico) na base de alguma montanha (são 47 lifts no total) e vai até o topo nele, aí de lá é só descer pra onde quiser. Abaixo algumas fotos e um vídeo feito enquanto subíamos o lift:
Começando a subida

Já no meio do percurso, tudo brazuca

Vídeo bem massa que o Felipe Cuozzo fez da gente na subida


Outra coisa fantástica é a vista lá do alto da montanha. Essa foto foi batida pelo Felipe Cuozzo um pouco depois de começar a descida:
Só de ver a foto já me pilha ir de novo... descer isso aí no gás é bom demais


Pra quem quer só dar uma relaxadinha, dá pra fazer o "ski-bunda". Olha a Mi mostrando toda sua destreza e perícia na modalidade:


Uma coisa que a gente vê bastante é a criançada humilhando. Molecada na faixa dos 12 anos (ou menos) descendo a montanha como profissional. Olhando o vídeo abaixo dá pra entender o motivo - a pivetaiada malemá entrou na pré-escola mas já tá aprendendo os conceitos básicos do esporte e se acostumando com o ambiente:

Foto que a Mi tirou com o foco nos flocos de neve ao invés das crianças


Aqui, uma tentativa de deixar "nossa marca", assim como fizemos em Fiji (veja AQUI), mas que não deu muito certo (não é fácil escrever na neve!) e precisa até de legenda de tão ruim que ficou:
"DU E MI, Perisher 2012" :-D


Pra encerrar, esse vídeo extremamente caprichado e profissional que a Renata Oliveira fez usando filmagens das câmeras de todo mundo, inclusive da GoPro que o Franklin Dattein, seu marido, usou no capacete:
Sou o cara de gorro vermelho descendo em 2:00. Apesar de continuar caindo muito, já tava conseguindo "domar" o ski melhor e descer cada vez mais rápido


Pra quem nunca fez, recomendo que guarde uma grana e experimente. Pra quem mora no Brasil, dá pra ir pra Cordilheira dos Andes. Vale a pena demais.