(CLIQUE NAS IMAGENS PARA VÊ-LAS EM TAMANHO REAL)

sábado, 29 de novembro de 2014

O Deserto Australiano (Parte 2): Kings Canyon

E como prometido, esse é o post sobre Kings Canyon, a parte que, na minha opinião, mais valeu a pena do nosso passeio no deserto australiano (primeira parte AQUI). A Mi não tem a mesma opinião: ela detestou escalar o Canyon e fazer a caminhada de 6 km ao redor dele... hehehe... mas eu achei demais.

Kings Canyon fica a cerca de 300 km de Uluru e aqui fica uma dica importante: não faça esse trajeto à noite, é cheio de animais. Nós caímos na besteira de ir à noite, e cruzamos 3 vacas e um canguru, sendo que por muito pouco não atropelamos uma das vacas, que estava atravessando a pista com a maior tranquilidade do mundo e, como já estava bem escuro, só vimos em cima da hora. A "sorte" é que já tínhamos visto uma outra vaca antes e desde então eu havia reduzido bem a velocidade, senão não teria conseguido desviar a tempo.

Existem várias opções de caminhada no Kings Canyon, desde as mais simples, que levam menos de uma hora, até uma de 22 km que tem que ser feita em alguns dias. Nós fizemos o Rim Walk, que tem 6km e é a mais popular, já que faz o trajeto "em volta" do Canyon, proporcionando vistas estonteantes, e também passa pelo Garden of Eden, uma parte mais baixa onde o sol não bate, com um lago muito lindo.

As vistas lá do alto do Kings Canyon são impressionantes
Em dias em que a temperatura vai chegar a mais de 35 graus, é proibido começar o Rim Walk depois das 9 da manhã, já que isso significaria encerrá-lo em torno da 1 da tarde, ou seja, encarar boa parte da caminhada com o sol a mais de 35 graus, o que é obviamente bastante perigoso. A gente chegou lá em torno das 6:30 e começamos a caminhada às 6:40, com uma temperatura agradável (não olhamos, mas chuto que tava uns 25 graus), e às 10:20 estávamos de volta à base - total de 3 horas e 40 minutos de caminhada.

Os primeiros 500 metros são os piores, uma escada bem íngreme de 100 metros de altura. Melhor fazer sem pressa, parando de vez em quando pra dar uma descansada e tomar uns bons goles de água (fazer essa caminhada sem levar água é loucura). Dica importante: se numa dessas paradas passar alguém com mais de 50 anos subindo no maior gás e sem demonstrar cansaço (o que é bem comum), a melhor estratégia é fingir que você está apenas apreciando a paisagem e batendo fotos, nunca demonstrando nenhum sinal de cansaço... hahaha :-D


Depois dessa subida inicial, os outros 5,5 km da caminhada se resumem a vistas estonteantes a cada curva, além do Garden of Eden, que eu citei no começo do post. É bem tranquilo, tudo plano e sempre tem um ventinho agradável pra dar uma refrescada.

O vídeo abaixo tem os melhores momentos da caminhada, e depois vem as fotos:


A "escada" dos primeiros 500 metros:








E finalmente chegamos à parte boa:














Vistas de cair o queixo:





Como o Canyon se formou:

Água é item obrigatório


Um "morador local" que encontramos lá no alto:









O Garden of Eden:





Como os Domes se formaram:








O Garden of Eden visto lá de cima:






É isso. Um passeio bem diferente do que estamos acostumados a fazer. Sem praias, sem resorts, sem água de coco: apenas formações rochosas de milhões de anos e um calorzão de 40 graus. Vale a pena, mas é algo pra se fazer apenas uma vez. :)


4 comentários:

Anônimo disse...

O meu querido, desculpe pela demora. Você sabe a quantas andam as coisas por aqui.
Enfim, o lugar é sensacional. Me permita perguntar: vocês dormiram por lá ou ficaram em algum hotel?
Acho que da para fazer rapel em alguns trechos. Ah se tiver um pé de maçã, pode realmente ser o jardim do eden hahahah.
Grande abraço :)
E.S

Eduardo Slompo disse...

Hahahah a do pé de mação foi boa... kkkkkkkkkk

A gente dormiu lá no dia anterior, aí acordarmos às 5 da manhã pra poder começar a caminhada antes de esquentar. Voltamos pra Uluru depois do almoço.

Abração!

Joana Reis disse...

Olá! Eu e meu marido queremos mudar de profissão e imigrar para Australia, porém fomos informados pela agencia que o fato de termos escolhido estudar um curso que é fora da nossa área de atuação e está na lista de demanda, pode prejudicar a obtenção do visto. gostaria muito da sua opinião a respeito. Pode nos dar uma outra aternativa? meu e-mail é joana.barbi@gmail.com. A propósito, parabens pelo trabalho de vocês! é fantastico a ajuda que dão a milhares de pessoas! Abraços

Eduardo Slompo disse...

Oi Joana,

Posso ajudar sim, me manda um email explicando certinho os detalhes de vcs dois (formação, idade, área de atuação) que eu ajudo como puder. Meu email é duslompo@yahoo.com.br

Abraço!